Você sabia que o sapo-cururu é predador natural do escorpião-amarelo, um dos animais peçonhentos mais perigosos do Brasil?

Estudo realizado pelo Instituto Butantan em parceria com a Universidade Estadual de Utah, dos Estados Unidos, provou que o sapo-cururu não apenas se alimenta de escorpiões-amarelos como também é imune às suas picadas venenosas. Link para o artigo: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0041010120300441?fbclid=IwAR37gq6N__baZ2wsgUYEkJ_hBlmIJRm6BqFJNTZ5KVT-eI8kCynmY1h-nzg

Isso significa que o papel do sapo-cururu na cadeia alimentar é de suma importância, pois ele contribui com o equilíbrio do ecossistema.

Mas, além disso, a descoberta de que o sapo-cururu é predador natural do escorpião-amarelo prova que esse tipo de anuro (que normalmente é visto pela população com certa repugnância) colabora diretamente com o controle de pragas nas áreas urbanas.

 

Por Que Fazer o Controle de Pragas? O Real Perigo do Escorpião

Apesar da boa notícia de que o sapo-cururu (Rhinella icterica) é predador natural do escorpião-amarelo (Tityus serrulatus), a verdade é que a proliferação de escorpiões é um problema de saúde pública nacional.

No período entre 2003 e 2018, houve um aumento de 448% no número de acidentes com escorpiões, segundo o Boletim Epidemiológico Vigilância em Saúde no Brasil – 2003/2019, da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde.

As picadas de escorpião correspondem a 59% dos mais de 2 milhões de acidentes com animais peçonhentos registrados no período analisado, observa o Boletim Epidemiológico da SVS.

Isto é, houve mais de 1.180.000 casos de acidentes com escorpiões no país, sendo que a maior presença desses aracnídeos ocorre nas áreas urbanas das regiões Nordeste e Sudeste.

No Brasil, existem mais de 170 espécies de escorpiões e a taxa de mortalidade envolvendo picadas desse animal é de 4 casos para cada 10 mil envenenamentos. As crianças e os idosos são as principais vítimas.

Por outro lado, a pesquisa do Instituto Butantan e da Universidade Estadual de Utah – que foi apresentada na publicação científica Toxicon – mostrou que o sapo-cururu é capaz de suportar grandes doses de veneno do escorpião-amarelo sem sentir seus efeitos nocivos.

Os sapos-cururu analisados receberam cargas equivalentes a 10 picadas de escorpiões e não apresentaram reações ou alterações no seu comportamento. Pelo contrário, mantiveram o apetite por baratas e outros insetos oferecidos pelos cientistas.

Só por curiosidade, a dose de veneno escorpiônico aplicada nos sapos-cururu pesquisados causaria severas complicações a um ser humano e seria suficiente para matar ratos.

Como Proteger a Minha Empresa dos Escorpiões Amarelos?

Para garantir a proteção de seus colaboradores, os padrões sanitários e a produtividade, as indústrias precisam ter estratégias eficazes para o controle de pragas urbanas, especialmente os temidos escorpiões-amarelos.

Medidas simples como o fechamento de ralos, pias e tanques com telas, a limpeza dos galpões/áreas fabris e o combate à proliferação de insetos (principalmente as baratas, que são a base alimentar dos escorpiões) já ajuda um pouco. Mas só isso não é suficiente.

No caso das indústrias – especialmente as fábricas de alimentos e medicamentos -, o controle de escorpiões-amarelos e outras pragas requer intervenções profissionais, executadas por empresas devidamente habilitadas junto aos órgãos de saúde e de fiscalização.

A BIOMAX é uma empresa com larga experiência na identificação, mapeamento e controle de pragas urbanas em espaços industriais, áreas de armazenagem de grãos, silos, galpões de beneficiamento, shoppings, redes de supermercado, hotéis, hospitais, depósitos de operações de logística e outros ambientes.

A empresa oferece soluções de controle de pragas que cumprem exigências, resoluções e normas expedidas por órgãos como:

Os serviços da BIOMAX obedecem diretrizes de certificações e resoluções normativas como:

Escorpiões no Condomínio: O Que Fazer?

A aparição de escorpiões-amarelos em áreas residenciais tem sido cada vez mais frequente, oferecendo risco aos moradores e visitantes. Em condomínios, o risco aumenta devido à circulação de um grande número de pessoas.

Gestores e síndicos de condomínios e outras aglomerações residenciais devem, portanto, ficar atentos ao surgimento de pragas que possam ser nocivas à saúde dos habitantes, especialmente as crianças e idosos, que são públicos mais suscetíveis a complicações médicas em casos de picadas de escorpião.

A exemplo de ambientes industriais, em condomínios também é fundamental um plano para o controle de pragas como escorpiões, ratos, carrapatos, aranhas, pombos e outros animais invasores.

Em condomínios, a BIOMAX executa ações preventivas e corretivas – como por exemplo o Controle de Escorpiões – para erradicar as pragas e prevenir futuras reinfestações.

Para locais como condomínios, outra solução muito eficaz e sustentável é o Manejo Ecológico de Pragas (MEP).

O MEP é um organizado, racional e sustentável método de baixo impacto ambiental. É baseado no princípio de eliminação dos ‘4A’ (alimento, água, acesso e abrigo), que são os fatores que, além de atrair as pragas, garantem condições para a sua sobrevivência e reprodução.

O objetivo do Manejo Ecológico de Pragas é erradicar pragas priorizando a utilização de intervenções mecânicas, físicas e biológicas, no sentido de proteger a área alvo e de evitar prejuízos ao meio ambiente e às pessoas. Somente em último caso é que são utilizadas iscas, inseticidas e outros recursos químicos.

A BIOMAX ainda possui um amplo catálogo de serviços especializados de controle de pragas em espaços residenciais, comerciais e industriais que inclui serviços como:

Consulte a BIOMAX!

Clique aqui para Atendimento

Telefone/Whatsapp: (19) 3124-3600

Sumário
Sapo-cururu É Predador Natural do Escorpião Amarelo
Nome do Artigo
Sapo-cururu É Predador Natural do Escorpião Amarelo
Descrição
Cientistas do Instituto Butantan e da Universidade Estadual de Utah (EUA)  divulgaram um novo estudo na revista científica Toxicon que mostra que o sapo-cururu (Rhinella icterica) é um anfíbio altamente resistente à picada de escorpião-amarelo (Tityus serrulatus), espécie que se tornou um problema de saúde pública no Brasil, por conta dos crescentes casos de envenenamento.
Autor
BIOMAX Controle de Pragas