O aumento da resistência a inseticidas tem dificultado o controle de pragas em diferentes setores da economia e em todas as partes no mundo. Um dos motivos para o aumento é o uso indiscriminado desses próprios inseticidas.

Segundo especialistas, o Brasil tem sido muito ameaçado por esse problema que, se não for controlado, pode afetar a produtividade, principalmente do agronegócio. A fim de evitar que o aumento da resistência de pragas no país atinja um limite a partir do qual não será mais possível controlá-lo, é preciso implementar, com urgência, um plano de manejo integrado de pragas, apontaram pesquisadores participantes do Workshop FAPESP-BBSRC Antimicrobial Resistance (AMR) and Insect Pest Resistance in Agriculture, realizado nos dias 5 e 6 de outubro na FAPESP.

Controle de Pragas e o Agronegócio

A FAPESP em parceria com o Biotechnology and Biological Sciences Research Council (BBSRC) – um dos Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK) –, um dos objetivos do evento foi discutir avanços na pesquisa para controlar a resistência antimicrobiana e de pragas a inseticidas na agricultura.

Durante o evento também foi lançada uma nova chamada de propostas pela FAPESP em parceria com o BBSRC para apoiar pesquisas nessas áreas.

“O fator determinante da evolução da resistência de uma praga a um inseticida é a pressão de seleção, ou seja, o uso contínuo de um mesmo produto sem a implementação efetiva de estratégias de manejo de resistência”, disse Celso Omoto, professor da Escola de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), à Agência FAPESP.

“Isso faz com que aumente a proporção de indivíduos resistentes no campo que, ao se reproduzirem, transmitem os genes responsáveis pela resistência aos seus descendentes e, gradativamente, a população dessa praga passa a não ser controlada eficientemente com o inseticida”, explicou.

Controle de Pragas na Indústria de Alimentos e Processamento

Na indústria de alimentos, em espaços, como os de processamento e preparo de alimentos, depósitos, estoques, área de espera para transporte, local onde as alimentações são servidas etc., existe o eminente e frequente perigo de contaminação física, química e por microorganismos, afinal, alimentos são chamarizes para insetos, que podem contaminá-los.

A proliferação de pragas, entre elas ratos, baratas, moscas, formigas, pombos e, até mesmo, outras aves, como os pardais que são facilmente encontrados em grandes proporções nos centros urbanos, podem, em uma fração de segundos, ‘transportar’ microorganismos para os alimentos, sejam eles em forma de matéria-prima, em processamento, prontos ou armazenados.

Doenças causadas pelo contato com pragas, além de afetarem negativamente a saúde dos consumidores, com certeza, resultarão no prejuízo econômico por meio do descarte de produtos estragados, processos judiciais diante do consumo de alimentos fora das condições adequadas etc., e na perda de credibilidade no mercado.

Controle Integrado de Pragas

Com o objetivo de combater esses problemas, uma técnica muito conhecida em cenários agrícolas é usada com eficiência nas cidades: o Controle Integrado de Pragas urbanas. Este sistema visa impedir que animais se instalem e gerem danos significativos, além de diminuir a quantidade de pesticidas, o que favorece o meio ambiente e diminui consideravelmente os custos dispensados com os defensivos, por exemplo.

Para que o controle seja realmente eficaz, é necessário conhecer bem os hábitos das espécies a serem combatidas. Assim, é essencial obter informações como o ciclo de vida, habilidades, alimentação e reprodução das espécies, e, a partir de tais informações as providências serão realizadas.

Algumas dessas ações, como a remoção ou a limitação de fontes de alimento, água e abrigos, são baseadas em fatores de controle. Se este manejo for combinado com ações de combate direto às espécies – com produtos químicos –, o resultado será o mais positivo possível, podendo erradicar a espécie.

Manejo Ecológico de Pragas, conhecido no agronegócio, destaca-se na Indústria pela Eficácia e Sustentabilidade

Trata-se de um sistema de controle que utiliza todas as medidas preventivas, ações e técnicas disponíveis de maneira compatível e racional. Diferentemente dos serviços disponíveis no mercado, esse sistema considera todos os elementos que fazem parte da região onde se localiza o alvo principal (local a ser protegido). Assim a estratégia visa a eliminação dos fatores favoráveis à reprodução das pragas e o controle tópico de ninhos e colônias localizados no alvo principal e nas regiões vizinhas.

Nesse sistema enfatiza-se as medidas preventivas e os métodos físicos, mecânicos e biológicos, utilizando-se o controle químico de maneira racional. Com esse procedimento evita-se a contaminação humana, animal e do ambiente, além de minimizar os riscos de seleção de pragas resistentes. Saiba mais sobre o Manejo Ecológico de Pragas destaca-se na Indústria.


A BIOMAX esta pronta para apoiar a Indústria no controle de pragas efetivo e sustentável.

Apoia também o agronegócio em setores específicos como: Armazéns, Granjas, haras, estábulos, entre outros.

Consulte-nos!

Sumário
Aumento da Resistência de Pragas na Agricultura e na Indústria.
Nome do Artigo
Aumento da Resistência de Pragas na Agricultura e na Indústria.
Descrição
O aumento da resistência a inseticidas tem dificultado o controle de pragas em diferentes setores da economia e em todas as partes no mundo. Um dos motivos para o aumento é o uso indiscriminado desses próprios inseticidas.
Autor
BIOMAX Controle de Pragas

A Opp.ag é uma agência de Propaganda e Marketing especializada em Marketing Digital.

Atende empresas dos mais diversos segmentos, e com sua expertise realiza campanhas on-line e off-line, análise de mercados, sistemas para internet, gestão de conteúdo para website, blogs e redes sociais e marketing de busca.

A Opp.ag também apresenta e desenvolve inovações criativas e diferenciadas com várias ferramentas para promover seus clientes, tais como o WiFi Marketing, uma plataforma de comunicação inteligente para rede de visitantes WiFi.