São insetos que se caracterizam pelo corpo longo e comprimido, e por sua velocidade de deslocamento. Existem diversas espécies de baratas, incluindo as silvestres. As mais conhecidas são as baratas domésticas. Elas se escondem em lugares úmidos e escuros da casa, e saem à noite para devorar todo tipo de comestíveis. Sua capacidade de adaptação e sobrevivência é extraordinária.
Algumas baratas são bem grandes, como a Periplaneta americana (barata-de-esgoto), típica dos portos e comum em residências. Uma hóspede ingrata também comum em casas é a Blatella germanica (barata-alemã), pequenina e de cor amarelada. Ela mede entre dois e três centímetros, e sua coloração é escura. Somente os machos podem voar; as fêmeas não conseguem fazê-lo, pois suas asas são muito pequenas.

Controle de Baratas

Ciclo de vida: as baratas colocam seus ovos em um estojo, chamado de ooteca. Essa cápsula pode ser carregada pela fêmea até próximo à eclosão das ninfas, como ocorre com Blatella germânica, já em Periplaneta americana essa ooteca é depositada em local apropriado, normalmente fendas, gavetas ou atrás de móveis. Cada ovo dará origem à uma ninfa, que passa por várias mudas, originando o inseto adulto. As ninfas são menores que os adultos, não possuindo asas e sendo sexualmente imaturas. A barata-alemã vive em média 9 meses, colocando cerca de 5 ootecas ao longo da vida, cada uma com 30 a 50 ovos. A barata-de-esgoto vive de 2 a 3 anos, ovipositando de 10 a 20 vezes suas ootecas que contém de 12 a 20 ovos cada. Quanto maior a temperatura e umidade, menor será o tempo de desenvolvimento.

Riscos à saúde humana: as baratas domésticas, assim como as formigas, são responsáveis pela transmissão de várias doenças, principalmente gastroenterites, carregando vários agentes patógenos através de seu corpo, pernas e fezes, pelos locais por onde passam, atuando portanto, como vetores mecânicos.

Sumário
Baratas
Nome do Artigo
Descrição
As baratas domésticas, assim como as formigas, são responsáveis pela transmissão de várias doenças, principalmente gastroenterites, carregando vários agentes patógenos através de seu corpo, pernas e fezes, pelos locais por onde passam, atuando portanto, como vetores mecânicos.
Autor

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!

%d blogueiros gostam disto: