A pandemia de Covid-19 alterou o ritmo de vida de toda a população do planeta. Mas não mudou apenas o cotidiano dos cerca de 7,8 bilhões de humanos. Os ratos também adotaram novos hábitos. No Reino Unido, cada vez mais eles estão deixando o “home office” (subsolo, galerias e esgotos) e perambulando com mais frequência pelas ruas em busca de alimento.

O aumento da circulação e aparição de ratos na superfície das cidades foi relatado por empresas filiadas à British Pest Control Association / BPCA (Associação Britânica de Controle de Pragas). A BPCA é uma entidade que reúne mais de 700 companhias do setor profissional de controle de pragas.

De acordo com um aviso emitido pela BPCA, os roedores estão se aventurando mais pelas cidades britânicas por causa de três fatores: maior número de imóveis vazios (especialmente prédios comerciais como restaurantes, bares, escritórios e lojas), escassez de alimentos e a calmaria nas ruas.

O confinamento social, estabelecido por governos do mundo afora como uma das medidas de combate ao novo coronavírus – e que na Europa foi muito mais rígido do que no Brasil -, determinou a mudança no conjunto de hábitos dos ratos, avalia a BPCA.

Verificou-se que os roedores estão visitando e xeretando novos locais até então incomuns para seus padrões de comportamento. Além disso, estão fazendo esses giros em plena luz do dia e com menos receio da presença humana.

A resposta para esse novo padrão é fácil: os ratos estão se movendo para outros lugares em busca de alimento. O que antes era farto e que estava facilmente disponível em lixeiras de pubs, restaurantes, lanchonetes, hotéis e shoppings, ficou mais raro após o início da pandemia, já que todos esses estabelecimentos reduziram bastante suas atividades.

Esse “novo normal” dos ratos britânicos foi observado a partir do período da primavera no hemisfério norte (março), durante o primeiro lockdown. Mas o número de turistas roedores pelas ruas provavelmente aumentou até o Ano Novo (dezembro), quando o governo do Reino Unido havia decretado o terceiro bloqueio.

O grande recado deste fenômeno, um inusitado efeito colateral da pandemia que provavelmente está se repetindo em outros países, é que os controles de pragas urbanas devem ser reforçados e aperfeiçoados.

Isso vale para os locais de circulação pública e especialmente para as unidades industriais responsáveis pela fabricação de itens básicos como alimentos, bebidas e medicamentos.

O cuidado com o controle de pragas urbanas deve ser redobrado principalmente em áreas de produção, galpões de armazenagem de grãos, produtos alimentícios processados, rações, remédios, silos graneleiros e estoques varejistas.

O controle integrado de pragas nessas áreas mantém ratos e outros animais invasores distantes de mercadorias que são essenciais para o abastecimento da sociedade, garantindo assim a satisfação dos consumidores, a integridade sanitária dos produtos e a saúde pública.

Controle Integrado de Pragas

O método de controle integrado de pragas BIOMAX é uma solução segura e sustentável que atende indústrias de vários segmentos produtivos, especialmente o setor alimentício.

É uma tecnologia eficaz voltada para indústrias, pois mantém ambientes fabris totalmente livres de pragas urbanas como ratos, baratas, pombos, formigas, cupins, mariposas e outros invasores indesejados.

Diferente de uma simples e agressiva dedetização, o controle integrado de pragas envolve uma estratégia de combate mais ampla que inclui a pesquisa do ciclo de vida e dos hábitos das espécies invasoras – abrigos preferidos, alimentação, condições que favorecem a reprodução e outros fatores.

A partir dessas informações, são realizadas modificações no ambiente para torná-lo menos favorável e convidativo às pragas. Essas medidas corretivas são realizadas antes das intervenções químicas com pesticidas.

Isso torna o combate às pragas uma medida mais racional e sustentável, na medida em que garante perfeitas condições sanitárias aos ambientes produtivos, diminui o impacto ambiental e assegura a qualidade dos produtos e a saúde dos funcionários da empresa.

A avaliação do serviço e o monitoramento da área envolvida são as etapas finais deste funcional processo de erradicação de pragas urbanas em fábricas.

O controle integrado de pragas é realizado em total obediência às regras e orientações sanitárias impostas por órgãos oficiais de regulação e fiscalização – principalmente a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Também é executado em conformidade com normas nacionais e internacionais como NBR ISO 14001, NBR ISO 2200, o manual Boas Práticas de Fabricação (BPF) e o sistema APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle), que é obrigatório para a indústria de alimentos.

Manejo Ecológico de Pragas (MEP)

A técnica do manejo ecológico de pragas (MEP) é um conjunto de ações preventivas e práticas ideais para garantir a segurança sanitária de indústrias.

É um método mais holístico, que vai ainda mais além do controle integrado de pragas. O conceito central que norteia o MEP é a geração mínima de impactos ambientais e à saúde pública.

O MEP é um plano mais amplo de erradicação de pragas que engloba um criterioso estudo de campo, a identificação de ninhos e colônias, o planejamento e a implantação do conceito chamado 4A – estratégia que combate os quatro elementos favoráveis à presença e procriação de pragas.

Dessa maneira, o MEP privilegia a utilização de métodos físicos, mecânicos e biológicos no controle das pragas. Isso engloba estratégias de bloqueio de locais preferidos pelas pragas, instalação de armadilhas, controle de iluminação e temperatura e outras medidas preventivas.

Essas e outras ações para afastar os animais invasores de fábricas compõem o já citado método 4A, que ataca as fontes de alimento, água, acesso e abrigo necessárias à sobrevivência e procriação de insetos, roedores, aracnídeos e aves.

O MEP prevê a aplicação de inseticidas e pesticidas como último recurso a ser empregado na eliminação de pragas.

Esse caráter hierárquico, seletivo e ecológico – que leva em conta o potencial agressivo dos métodos de eliminação de pragas – faz do MEP a solução mais moderna, eficiente e sustentável para indústrias envolvidas com a qualidade/segurança sanitária de seus produtos, a satisfação de seus consumidores e a sustentabilidade.

Consulte a BIOMAX!

Mais informações sobre o Manejo Ecológico de Pragas e outras soluções da BIOMAX pelos nossos canais de atendimento:

Telefone: (19) 3124-3600

E-mail: biomax@biomax-mep.com.br

Sumário
Prevenção Contra Pragas Urbanas e Seus Novos Padrões de Comportamento
Nome do Artigo
Prevenção Contra Pragas Urbanas e Seus Novos Padrões de Comportamento
Descrição
O método de controle integrado de pragas BIOMAX é uma solução segura e sustentável que atende indústrias de vários segmentos produtivos, especialmente o setor alimentício.
Autor
BIOMAX Controle de Pragas

A BIOMAX é especializada no controle de pragas em indústrias de alimentos, medicamentos e embalagens, em redes hoteleiras e hospitalares e nas demais empresas que procuram um programa sustentável com as exigências da Anvisa, da Norma ISO 22000, BPF, HACCP e Ministério da Agricultura. Utiliza o sistema de controle denominado Manejo Ecológico de Pragas (MEP) o qual une eficácia no controle das pragas e segurança para as pessoas e o meio ambiente. Atendemos toda a região Sudeste.