Os cereais desempenham um papel central na garantia da segurança alimentar global. Por sua relevância enquanto principal fonte de alimento para seres humanos e animais, a preocupação com a qualidade dos grãos e as perdas provocadas por ataques de pragas é permanente.

Desde sempre, um dos grandes desafios de produtores cerealistas, e empresas envolvidas neste segmento de comércio alimentício, é o controle de pragas em áreas de grãos armazenados.

o controle de pragas em áreas de armazenagem de grãos é imprescindível, tendo em vista a qualidade dos cereais, a segurança dos consumidores, a credibilidade e a competitividade do negócio.

o controle de pragas em áreas de armazenagem de grãos é imprescindível, tendo em vista a qualidade dos cereais, a segurança dos consumidores, a credibilidade e a competitividade do negócio.

Além do monitoramento de parâmetros como temperatura, umidade, condições fitossanitárias, desenvolvimento e integridade física dos grãos, é fundamental evitar a indesejada presença de um grande e faminto exército de pragas invasoras.

Sem ações preventivas, pragas como ratos, pombos, carunchos, mariposas, besouros e ácaros invadem depósitos de grãos armazenados (ensacados), silos e armazéns graneleiros, aumentando riscos de saúde e provocando grandes prejuízos financeiros e de imagem institucional.

Portanto, a segurança sanitária e o controle de pragas em áreas de armazenagem de grãos é imprescindível, tendo em vista a qualidade dos cereais, a segurança dos consumidores, a credibilidade e a competitividade do negócio.

Importância dos Cereais no Brasil e no mundo

Entre os principais grãos comercializados e consumidos do mundo estão o trigo, o arroz, o milho e a soja, da qual o Brasil é o seu maior produtor.

De acordo com o International Grains Council (IGC) – organização intergovernamental que supervisiona a Convenção de Comércio de Grãos e fomenta a cooperação global do setor – a produção mundial de grãos na safra 2021/2022 vai bater um recorde, pois deve atingir 2,287 bilhões de toneladas.

No Brasil, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) prevê que a produção de grãos em 2021 deve alcançar 263,1 milhões de toneladas.

Esse número – apresentado no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) – representa 9,0 milhões de toneladas a mais do que a safra nacional de 2020 (crescimento de 3,5%).

Por outro lado, segundo a FAO (Food and Agriculture Organization) os insetos são responsáveis pela perda de 10% da produção de cereais. E no Brasil, esse percentual sobe para 20% devido às condições precárias de armazenamento.

um dos grandes desafios de produtores cerealistas, e empresas envolvidas neste segmento de comércio alimentício, é o controle de pragas em áreas de grãos armazenados.

um dos grandes desafios de produtores cerealistas, e empresas envolvidas neste segmento de comércio alimentício, é o controle de pragas em áreas de grãos armazenados.

O Risco das Pragas na Indústria de Alimentos

Pombos, ratos, morcegos e uma grande variedade de insetos são as principais ameaças em áreas produtivas (ensacamento e processamento de alimentos) e espaços de armazenagem de grãos.

O Risco das Pragas na Indústria de Alimentos

É importante ressaltar que a maioria destes animais indesejados – nas indústrias e áreas de estoque – já possui características sinantrópicas. Ou seja, devido à sua necessidade de obter alimento, água e abrigo já estão adaptados ao convívio com os seres humanos.

No ambiente das indústrias de alimentos, a presença desses animais pode resultar numa série de transtornos, riscos e prejuízos.

A título de curiosidade, algumas consequências negativas são a contaminação de alimentos que chegarão às prateleiras, o risco de transmissão de doenças – já que algumas pragas são vetores de patologias -, a perda de estoques e a judicialização de casos envolvendo consumidores lesados.

Principais Pragas Entre os Insetos

Quando estão desprotegidos, equipamentos de armazenamento de grãos (torres ou silos), galpões de beneficiamento de cereais e áreas de estocagem são um prato cheio para todo tipo de pragas.

Mas especialmente para três ordens de insetos: coleópteros (besouros, gorgulhos e carunchos), lepidópteros (mariposas, borboletas e traças) e psocópteros (piolho-branco, insetos corrodentes).

Para os insetos, os cereais representam uma importante fonte de matéria orgânica, que é necessária para a sua alimentação e reprodução.

Basicamente, as pragas se dividem em três grupos:

  1. Pragas primárias – atacam grãos íntegros e sadios e são divididas em dois subgrupos:

●    Internas – possuem mandíbulas desenvolvidas que rompem as películas protetoras e penetram nos grãos; completam o ciclo reprodutivo dentro do grão (caruncho, gorgulho-do-milho, traça-dos-cereais)

●    Externas – aquelas que se alimentam da parte externa dos grãos (traça-do-amendoim)

  1. Pragas secundárias – se alimentam de grãos quebrados ou previamente danificados por pragas primárias; infestam quase todos os grãos armazenados, especialmente seus subprodutos como farinhas, fubá, farelos e rações (besouro Tribolium)
  2. Pragas associadas – não atacam os grãos, mas alimentam-se de detritos e fungos; afetam a qualidade e o aspecto do produto armazenado (ácaros, besouros Tenebrio, parasitóides, predadores).

Todas essas pragas apresentam características biológicas e comportamentais que comprometem seriamente a produção, o beneficiamento e a estocagem de grãos.

Entre essas características podemos citar a grande capacidade reprodutiva (potencial biótico), a presença em áreas de cultivo e depósitos (infestação cruzada), a habilidade para atacar diversos produtos (polifagia) e a capacidade de adaptação a ambientes secos e escuros.

Em suma, quando não há o manejo adequado dessas pragas durante a produção de cereais, invariavelmente ocorrem perdas quantitativas (deterioração e perda de peso dos grãos) e qualitativas (alteração das características do produto, queda do valor nutritivo, desvalorização, diminuição do grau de higiene e perda da qualidade de panificação das farinhas).

Manejo Ecológico de Pragas (MEP)

O Manejo Ecológico de Pragas (MEP) é uma solução moderna – desenvolvida pela BIOMAX – para o controle definitivo de animais invasores em unidades industriais e/ou áreas de estocagem de cereais e outros alimentos.

Trata-se de um método que, a partir da análise de diferentes variáveis – ambientais, estruturais, nível de infestação, riscos de contaminação química, espécie de praga prevalente -, propõe um plano organizado de ações que equaliza eficiência, segurança e sustentabilidade.

A eficácia do MEP BIOMAX está relacionada à estratégia de identificação e prevenção dos “4A”.

Traduzindo, o método busca eliminar as condições de “alimento, abrigo, água e acesso”, que são os fatores que garantem a existência e a reprodução de insetos e outras pragas urbanas em qualquer ambiente.

Método Sustentável de Controle Absoluto

A implantação do Manejo Ecológico de Pragas (MEP) parte da adoção de intervenções de menor potencial agressivo – como ações mecânicas, físicas e biológicas – até chegar a procedimentos químicos (iscas e inseticidas), caso realmente haja essa necessidade.

Pode-se dizer que essa sequência é uma cadência sustentável, cujo objetivo é a redução de danos ambientais, a segurança do ambiente fabril e a saúde dos colaboradores e do consumidor final.

Tudo isso faz do MEP uma solução muito mais evoluída, precisa e segura do que uma simples dedetização – o tradicional método de eliminação de pragas que não leva em conta os efeitos colaterais, não monitora a possibilidade de reinfestação e nem outras consequências ngativas.

Além de combinar estratégia, métodos alternativos e mais sustentáveis (controle de temperatura, umidade e luminosidade), a possibilidade da execução de ações durante o expediente da empresa e o monitoramento sistemático da área infestada, o MEP é uma tecnologia de controle de pragas que oferece total segurança jurídica.      

Ou seja, o Manejo Ecológico de Pragas BIOMAX é executado em total conformidade com normas técnicas, resoluções e legislações ambientais e de saúde vigentes no país.

A eficácia e a qualidade do Manejo Ecológico de Pragas BIOMAX mantêm companhias de diversos segmentos absolutamente seguras e blindadas contra a invasão de pragas.

Entre os clientes da BIOMAX figuram empresas de alimentação, bebidas, fármacos, nutrição animal, embalagens, redes de hotéis, hospitais, granjas, shopping centers, edifícios comerciais e condomínios residenciais.

Consulte a BIOMAX!

Mais informações sobre as soluções da BIOMAX pelos nossos canais de atendimento:

Telefone/whatsapp: (19) 3124-3600

E-mail: biomax@biomax-mep.com.br

 

 

 

Sumário
Controle de Pragas em Áreas de Grãos Armazenados
Nome do Artigo
Controle de Pragas em Áreas de Grãos Armazenados
Descrição
O controle de pragas em áreas de armazenagem de grãos é imprescindível, tendo em vista a qualidade dos cereais, a segurança dos consumidores, a credibilidade e a competitividade do Agronegócio.
Autor
BIOMAX Controle de Pragas

A BIOMAX é especializada no controle de pragas em indústrias de alimentos, medicamentos e embalagens, em redes hoteleiras e hospitalares e nas demais empresas que procuram um programa sustentável com as exigências da Anvisa, da Norma ISO 22000, BPF, HACCP e Ministério da Agricultura. Utiliza o sistema de controle denominado Manejo Ecológico de Pragas (MEP) o qual une eficácia no controle das pragas e segurança para as pessoas e o meio ambiente. Atendemos toda a região Sudeste.